A anatomia de um golpe: o caso do WhatsApp colorido

Por
24/1/17, 9h02 17 min 23 comentários

Com mais de um bilhão de usuários no mundo e uma base fanática no Brasil, é seguro dizer que, se não o aplicativo mais popular, o WhatsApp praticamente integrou-se à vida do brasileiro. Essa ubiquidade o transforma. Dizer que o WhatsApp é um app de mensagens é reduzir suas funções e o potencial inventivo da multidão que o usa para os mais diversos fins. Entre eles, inclusive, disseminar boatos ancorados na boa-fé (ou o contrário) dos outros e aplicar golpes. Continuar lendo A anatomia de um golpe: o caso do WhatsApp colorido

Discutindo o noticiário, “o mais influente meio de educar populações”

Por
17/1/17, 12h53 16 min 11 comentários

Existe um tipo de formação continuada que nos arrebata na juventude e, raríssimas exceções, atendemos até a morte. É o noticiário. Alain de Botton, em seu livro Notícias: Manual do Usuário, diz que ele é “de longe o mais influente meio de educar as populações”. Há indagações e sugestões interessantes ali, todas pautadas por uma questão maior: a finalidade das notícias. Continuar lendo Discutindo o noticiário, “o mais influente meio de educar populações”

O que há por trás das hashtags #SDV (segue de volta) do Twitter

Por
29/9/16, 9h00 10 min 14 comentários

Em um dos nossos podcasts recentes em que o tema era redes sociais, me vi, em dado momento, lendo os trending topics do Twitter para demonstrar um ponto. Lia o termo e explicava do que se tratava em seguida, e assim foi até chegar à hashtag #SextaDetremuraSDV. Sem ter a mínima noção do que era isso, ignorei. Mais tarde, soube que se tratava de uma hashtag do tipo “segue de volta”, o elo entre um monte de gente que usa o Twitter de uma forma bem… peculiar.

Desmembrar aquela hashtag nos dá algumas pistas. “Sexta”, a parte óbvia, é o dia da semana. “SDV” é a abreviação de “segue de volta”, o comando que se espera daqueles que aderem à prática. “Detremura”, descobri depois, faz referência a uma pessoa, quem organiza a maior parte dessas hashtags que ascendem com facilidade nos trending topics brasileiros do Twitter com a promessa de impulsionar bases de seguidores. Intrigado com o que leva as pessoas a se juntarem em torno disso, fui investigar. Continuar lendo O que há por trás das hashtags #SDV (segue de volta) do Twitter

Destaques da apresentação “O mobile está devorando o mundo”, de Benedict Evans

Por
20/12/16, 10h38 10 min 3 comentários

Ao longo do ano publicamos, aqui no Manual do Usuário, vários posts assinados por Benedict Evans, analista da firma de capital de risco Andreessen Horowitz (a16z), no Vale do Silício. Ele traz insights interessantes sobre a tecnologia e, em paralelo aos seus textos e comentários no Twitter, mantém uma grande apresentação intitulada “O mobile está devorando o mundo”1. A nova versão dela saiu há pouco e merece alguns destaques. Continuar lendo Destaques da apresentação “O mobile está devorando o mundo”, de Benedict Evans

Post patrocinado (?)

Os vários caminhos que cursos de pós-graduação em tecnologia abrem

Por
16/12/16, 17h55 11 min 7 comentários

A tecnologia conta com grandes histórias protagonizadas por pessoas únicas. Embora muitos avanços sejam creditados a visionários específicos, e entre esses haver até certa celebração daqueles que abandonaram o estudo formal para se dedicarem às suas ideias, grande parte da inovação, incluindo a fundação que sustenta essa indústria até hoje, veio de trabalhos de pesquisa na academia. Continuar lendo Os vários caminhos que cursos de pós-graduação em tecnologia abrem

Câmeras, comércio eletrônico e aprendizagem de máquina

Por
7/12/16, 8h20 7 min 1 comentário

Mobile significa que, pela primeira vez, praticamente todas as pessoas terão uma câmera e tirarão significativamente mais fotos do que jamais foram tiradas em rolo de filme (“Quantas fotos?”). Isso parece uma mudança profunda, com o mesmo impacto de, digamos… o rádio transistorizado que tornou a música ubíqua. Continuar lendo Câmeras, comércio eletrônico e aprendizagem de máquina

Thiago Rotta, da IBM: “Não vejo uma área que não possa ser beneficiada por inteligência artificial”

Por
1/12/16, 17h01 15 min 6 comentários

Inteligência artificial é um dos temas mais quentes do momento. Empresas como Google, IBM e Microsoft estão praticamente se refazendo em torno dessa ideia. Não é à toa: os ganhos da aplicação de técnicas baseadas em aprendizagem de máquina e big data são assombrosos — das melhorias dramáticas nos sistemas de tradução de idiomas ao reconhecimento de imagens sem qualquer classificação prévia feita por humanos. É difícil pensar em uma área que não se beneficie desses avanços.

Já discutimos isso bastante por aqui. E continuaremos, porque há muitas implicações que transcendem a tecnologia — éticas, políticas, psicológicas. Para enriquecer o debate, tive a oportunidade de entrevistar Thiago Rotta, líder da IBM Watson Solutions na América Latina. Como o próprio me explicou, sua tarefa é monitorar o mercado e o que a IBM está produzindo na área, a fim de levar aos clientes as melhores soluções para seus problemas.

Thiago é uma das atrações do Wired Festival Brasil 2016, o primeiro da tradicional revista norte-americana por aqui, que começa amanhã (2/12) no Armazém da Utopia, no Rio de Janeiro. Gentilmente, ele se dispôs a responder oito perguntas sobre inteligência artificial para o Manual do Usuário. Suas respostas, muito pertinentes, nos ajudam a entender a questão por um ponto de vista raro de ser lido por aí: o de quem cria essas soluções. Continuar lendo Thiago Rotta, da IBM: “Não vejo uma área que não possa ser beneficiada por inteligência artificial”

A natureza intimista do e-mail faz dele a melhor rede social de que dispomos

Por
1/10/15, 13h50 10 min 16 comentários

Mande um e-mail anônimo!

Você talvez já tenha visto a corrente acima no Facebook ou no Tumblr. Ela é bem autoexplicativa, mas talvez mereça um pouco de contexto — mais ainda se você não leu/assistiu a As Vantagens de Ser Invisível, de Stephen Chbosky1.

O livro/filme conta a história de Charlie, um rapaz recluso que narra eventos da sua adolescência através de cartas a alguém que jamais é revelado. Na Internet, a corrente/brincadeira migra o suporte do papel para o e-mail por alguns motivos: é mais prático, permite a comunicação anônima (os 10 Minute Mail da vida estão aí para isso) e dispensa a troca de endereços, algo que pode acabar mal quando feito publicamente, na Internet. Continuar lendo A natureza intimista do e-mail faz dele a melhor rede social de que dispomos

Por que compartilhamos fotos e vídeos de gente morta?

Por
18/8/15, 10h55 19 min 27 comentários

A morte repentina do cantor Cristiano Araújo, em meados de junho, levantou uma polêmica que até então estava fora do radar da imprensa: o compartilhamento desenfreado de fotos e vídeos de pessoas mortas via Internet.

Imagens dos corpos agonizantes ou já sem vida de Cristiano e sua namorada, Allana de Moraes, alastraram-se rapidamente pelo Brasil inteiro, via WhatsApp, redes sociais e sites especializados em propagar conteúdo grotesco. Por quê? O que motiva as pessoas a compartilharem um conteúdo tão desrespeitoso à memória das vítimas e à família? São perguntas que há muito me incomodavam. Continuar lendo Por que compartilhamos fotos e vídeos de gente morta?