[Review] Moto G, o melhor smartphone barato que você pode comprar

Detalhe do Moto G.

Foi um longo hiato do anúncio da aquisição pelo Google até o primeiro fruto, o Moto X. A Motorola Mobility enquanto “uma empresa Google” ainda dá seus primeiros passos, mas passos confiantes e acertados. O Moto G, segundo smartphone dessa nova fase, foi anunciado no Brasil em novembro e, agora, passa pelo crivo do Manual do Usuário. Com a combinação de boas especificações e preços agressivos, o aparelho faz sucesso no varejo. Sucesso justificável? É o que descobriremos juntos.

Alguns leitores chegam ao blog em busca do manual do usuário do Moto G. Baixe-o aqui.

Moto G: um Moto X mais rústico

Moto G com o Droidinho.
Foto: Rodrigo Ghedin.

O Moto G preserva o visual característico do irmão mais velho, o Moto X: traseira arredondada, frente livre de botões físicos e marcas da fabricante, desenho bonito, ergonômico e sem muita invencionice. Se à primeira vista eles se parecem muito, com pouco tempo de uso diferenças importantes surgem.

Poderia resumi-las à qualidade do acabamento, mas vale a pena elaborar melhor. O Moto X parece um relógio suíço: ele não tem sobras, tudo é bem encaixado, firme, dá a impressão de ser um projeto redondo, fechado. Já o Moto G é claramente uma “variante”. Pela tela menor, sobra espaço no rodapé da parte frontal. Em vez de hermeticamente fechado, existe uma tampa atrás que esconde o (ou “os”, dependendo da versão) slot para o Micro SIM — e bem chatinha de remover. A qualidade do plástico da tampa também não é das melhores. Ele ainda é mais pesado e mais grosso.

A capa traseira preta é ruim.
Foto: Rodrigo Ghedin.

É um projeto visivelmente simplificado e as alterações visando o barateamento acabam afetando a usabilidade. Nada que impossibilite ou incomode o uso; na verdade, a empunhadura, mesmo com todas essas críticas, ainda é melhor do que a de muito smartphone que custa mais. Só não é tão natural, tão equilibrada quanto a do Moto X.

Não se assuste! Você verá muitas comparações com esse modelo superior porque… bem, eles são da mesma família e a melhor forma de ressaltar as (poucas) deficiências do Moto G é contrapondo-as às características do Moto X.

Review em vídeo

Desempenho surpreendente

Posicionado abaixo do Moto X, as configurações do Moto G são, pois, inferiores. Ele vem com um SoC Snapdragon 400, que apesar do nome e do processador com o dobro de núcleos, é mais fraco que S4 Pro do Moto X. Em vez do processador dual core Krait 300 rodando a 1,7 GHz do modelo anterior, o que move o Moto G é um Cortex-A7 quad core rodando a 1,2 GHz. A GPU também é melhor no X: uma Adreno 320, contra uma 305 no G.

O Moto G é bastante rápido.
Foto: Rodrigo Ghedin.

Essa sopa de letras e números significa o seguinte: o Moto X, apesar de ter um SoC com processador dual core e nomenclatura do ano passado, é mais poderoso que o que equipa o Moto G, um mid-range da atual leva de SoCs da Qualcomm. E mais versátil também, graças aos chips extras de linguagem natural e computação contextual, que constituem o que a Motorola chama de “sistema de computação móvel” X8.

O Moto G leva uma vantagem de marketing aqui, pois a Motorola pode alardeá-lo, como de fato está fazendo, como um smartphone com “processador quad core”. Não é mentira, mas mais uma prova de que núcleos, giga hertz e nomes comerciais não contam toda a história quando se tem o smartphone na mão, rodando apps e jogos.

Toda essa questão de desempenho vs. marketing é bem explorada pela Motorola, inclusive. Na apresentação do Moto G, Punit Soni, VP de Gerenciamento de Produtos, teve colhões de dizer que, mesmo com hardware inferior, o aparelho bate o Galaxy S 4 (Snapdragon 600) em várias ações, atribuindo à otimização de software (Android 4.3 quase puro, com promessa de atualização para o 4.4 agora em janeiro) essa vantagem que o hardware por si só não seria capaz de alcançar.

Existe certo exagero aí. O Moto G é rápido, sim, mas não a ponto de fazer frente com um dispositivo high-end. O Android é muito otimizado, a multitarefa, boa, e até jogos mais pesados, como Real Racing 3, rodam lisos nele, mas é perceptível que a tela não responde imediatamente aos toques e em situações exigentes o smartphone se atrapalha um pouco — telas rolam mais devagar que o esperado, apps demoram um pouco para responder.

Falando assim posso soar pessimista, mas não se engane: para um aparelho de R$ 600, seu desempenho é fabuloso. É o que eu esperaria de um mid-range na faixa dos R$ 1.000, e isso diz muito sobre a imbatível relação custo-benefício do Moto G.

Moto G e, ao fundo, Droidinho.
Foto: Rodrigo Ghedin.

Além do hardware simplificado, o Moto G é mais mundano, mais parecido com outros smartphones. Praticamente todos os truques que distanciam o Moto X da concorrência se perderam aqui. Adeus Google Now acessível por voz mesmo com o smartphone bloqueado, nada de notificações ativas, nem de abrir a câmera com dois giros do pulso. A Motorola colocou um LED simples e monocor ao lado da câmera frontal e só.

Algo bom nesse downgrade generalizado? A tela. É uma questão um tanto subjetiva, logo a você isso pode representar um retrocesso. No Moto G é usada uma tela LCD, ao contrário da AMOLED do Moto X. Ela é menos saturada (ou mais “lavada”), mas em um nível acertado, mais fiel à realidade. Por ser menor e manter a mesma resolução (1280×720), a densidade de pixels é maior, mas não a ponto de fazer qualquer diferença a olhos nus. Há telas melhores no mercado, mas nessa faixa de preço? De forma alguma. A tela é um dos pontos altos do Moto G e ainda por cima tem revestimento Gorilla Glass 3. Um feito absurdo (de bom!) para um smartphone que custa tão barato.

A autonomia do aparelho anda de mãos dadas com a coesão do seu conjunto. Graças a uma bateria de 2070 mAh, dá para sair de casa pela manhã com ela cheia e passar o dia despreocupado, usando-o moderadamente, em recarregá-la.

Câmera

Câmera ruim no Moto G.
Foto: Rodrigo Ghedin.

Dennis Woodside, CEO da Motorola, garantiu durante a apresentação do Moto G que a empresa não está tomando prejuízo com a venda de cada unidade. Desde o Nexus 4 esse fator passou a ter peso na análise de smartphones: é fácil fazer um bom custo-benefício se a fabricante consegue suportar a sangria de vendê-lo abaixo do custo de produção.

Essa declaração torna o Moto G ainda mais surpreendente. Não é como se ele fosse algo sobrenatural; para mim, o que a Motorola fez foi escolher bem onde investir o limitado orçamento disponível para a sua construção. Tela? É o que a gente mais vê! Façamos uma boa, pois. Câmera? Todo mundo entenderá se não for uma ótima e, convenhamos, muita gente nem consegue ver as deficiências de uma ruim.

Se você consegue, prepare-se para torcer o nariz para a do Moto G. O maior problema dela é a absurda falta de detalhamento: não espere definição em contornos mesmo quando houver bastante luz disponível. Se granulação e ruído o incomodam, é bom fazer vista grossa para as fotos em tamanho natural. A câmera, com 5 mega pixels e lente com abertura f/2,4, deixa a desejar. Em redes sociais, bastante redimensionadas, elas até passam — com um app de edição como o Snapseed dá para corrigir problemas mais aparentes mesmo em baixa resolução, como o aspecto lavado.

Repare nessas frutas em detalhe, como a definição fica bastante prejudicada com um crop em 100%:

Foto de frutas feita com o Moto G.
As frutas praticamente perderam o contorno. Foto: Rodrigo Ghedin.

Ou nessas árvores, como as folhas viram um borrão verde disforme nas áreas de sombra:

Detalhes se perdem com o Moto G.
As folhas ficam indistinguíveis em 100%. Foto: Rodrigo Ghedin.

Ou no ruído que se destaca no telhado do Mercadão de Maringá:

Ruído no telhado do Mercadão de Maringá com a câmera do Moto G.
O telhado, além da baixa definição, sofre com ruído mesmo quando a câmera usa HDR. Foto: Rodrigo Ghedin.

O software da câmera é basicamente o mesmo do que vem no Moto X, já com as mudanças — o círculo central de focagem. A interface é limpa e basta tocar em qualquer parte da tela para disparar a foto. Comandos mais avançados (mas não muito) ficam ocultos em um disco na lateral esquerda; arraste o dedo de fora para dentro da tela, e eles aparecem.

Abaixo, algumas fotos de exemplo feitas com o Moto G — algumas delas com HDR, ativado automaticamente. O mesmo problema do Moto X, em que o software parece “desatento” na ativação do HDR quando no automático, se repete aqui:

Um Android puro, por favor

O Moto G vem com um Android quase puro.
Foto: Rodrigo Ghedin.

A Motorola de 2013 tem motivos para adotar um Android mais puro, mas independentemente dele, mostra ao restante da indústria que o pedido que heavy users fazem há anos tem lá seu fundamento: o sistema como concebido pelo Google supera, fácil, qualquer skin ou modificação feita pelas fabricantes.

O Android 4.3 vem com tímidas mexidas, na maioria dos poucos casos apenas acréscimos em cima de um sistema muito otimizado e que reflete, no uso, as vantagens dessa abordagem. Ele é mais agradável e simples de mexer do que os alterados por Samsung, HTC, LG e todas as outras. Somado ao SoC intermediário, entrega uma experiência de uso muito agradável, excepcional para essa faixa de preço.

No que a Motorola interferiu, o fez de maneira competente. São, na maioria dos casos, apps: o ótimo Assist, que ajusta contextualmente algumas configurações do smartphone; o Moto Care, um canal de comunicação direto com o suporte da Motorola; o Migração, que ajuda a transferir fotos, contatos e outros dados de um aparelho antigo para o Moto G; e o Rádio FM, para… bem, para ouvir rádio FM.

Custo-benefício insuperável

A tampa traseira é removível.
Foto: Rodrigo Ghedin.

O Moto G é vendido em quatro versões, com preços que variam de R$ 649 a R$ 999. São elas:

  • 8 GB, um SIM card: R$ 649
  • 8 GB, dual SIM: R$ 699
  • Colors Edition (16 GB, dual SIM, quatro capas coloridas): R$ 799, lançamento em 18 de novembro
  • Music Edition (16 GB, dual SIM, fones de ouvido Tracks AIR da Sol Republic): R$ 999, lançamento no começo de dezembro

A que analisei foi a segunda, com 8 GB de espaço interno e suporte a dois SIM cards. Não a recomendo, nem a mais simples, com apenas um SIM card, pelo espaço interno. Ter 8 GB, ou os 5,5 GB que restam descontado o espaço que o Android exige, é um exercício constante de comedimento. Você não consegue sincronizar muitas músicas, nem baixar jogos, ou ativar a sincronia de fotos via Dropbox/Google Drive e esquecer que elas ficam armazenadas, consumindo espaço no seu smartphone. E esse policiamento constante é chato.

A Colos Edition é bacana, não só pelo dobro do espaço, mas por trazer capinhas de outras cores. É uma questão meramente estética, mas a capa preta padrão é tão ruim que faz até quem não liga muito para personalização, como eu, querer trocá-la. O material é pobre, sem textura alguma (leia-se liso) e colhe mais digitais que a própria tela. Ao final de um dia de uso, parece que você comeu frango frito e não limpou as mãos antes de usar o Moto G.

Leve em conta, ainda, que o varejo anda bem assanhado com promoções. Não é difícil encontrar o Moto G beirando os R$ 500 e, nessa faixa, não pense meia vez: ele bate toda a concorrência. Mesmo smartphones de categorias superiores e novos, recém-lançados, não fazem frente ao Moto G. Eu não sei como a Motorola chegou a esses valores e ainda consegue extrair lucro de cada venda, mas olha… meus parabéns. Esse smartphone chacoalha sem dó o mercado de smartphones.

Dennis Woodside declarou que o Moto G é o smartphone para os cinco bilhões de pessoas abandonadas pelas fabricantes. A estratégia das outras tem sido distribuir smartphones capados e severamente limitados. “Não pode comprar um high-end? Se vire com isso aí”. Elas precisarão mudar o discurso, rever a estratégia, dar mais atenção à parte de baixo da tabela.

Com exceção de um aparelho antigo e que teve grandes cortes no preço, o Nexus 4, e do Moto X quando em promoção (ou, ainda, se você precisa de 4G, recurso do qual o Moto G carece), hoje quem quer um smartphone por menos de R$ 1.000 não tem motivo para comprar outro que não o Moto G. É o melhor smartphone barato que você pode levar no momento.

Links para comprar o Moto G.

Compre o Moto G

Comprando pelos links acima o preço não muda e o Manual do Usuário ganha uma pequena comissão sobre a venda para continuar funcionando. Obrigado!

91 comentários para “[Review] Moto G, o melhor smartphone barato que você pode comprar

  1. Aparelhinho tentador, gostei bastante do que li sobre ele, e um detalhe o colors é dual sim (por 799BRL) pelo menos é o que informa a loja da motorola. E espero que esses aparelhos baratos da motorola ajudem a derrubar o preço da concorrência, porque o preço dos smartphones estão escalando de forma preocupante. (A LG parece que tá tentando segurar a escalada né? o G2 por 1.999 )

    1. Bem observado, Thales — apenas o modelo de entrada tem um SIM card.

      Além da LG, a própria Motorola trouxe o Moto X por um preço bem em conta, mesmo comparado ao dos EUA. Talvez por ser do Google, que tem grana para queimar e uma filosofia própria para o Android, a Motorola possa se dar a esses pequenos luxos.

    2. O aparelho Moto G é ótimo, tanto o dual chip quanto o chip único, a câmera é maravilhosa, Eu recomendo! Os aplicativos são maravilhosos!

  2. Eu virei um fan da Motorola, acho que ela é a única fabricante Android que está seguindo uma linha que eu goste. São produtos bem resolvidos e com preços atrativos, como vi em um texto no Gizmodo, a empresa parece estar razoavelmente livre das pressões que outros fabricantes parecem estar sofrendo devido ao dinheiro do Google.

    O Moto X se preocupa em adicionar funções interessantes, um formato agradável de segurar e alguns detalhes extras como o MotoMaker. Pelo que vi no Anandtech, devido aos processadores auxiliares, o Moto X consegue manter o clock do processador constantemente elevado para atividades pesadas (como navegação na internet) o que faz bastante sentido se você pensar que muitas tarefas não podem ser paralelizadas. Não chama a atenção, mas é uma estratégia bem engenhosa.

    Os smartphones top de linha me passam a sensação de fazer o “desnecessário” nessa corrida de ser a empresa inovadora. A Motorola parece fugir um pouco disso.

  3. Parece muito bom o aparelho, ontem vieram me perguntar qual smatphone comprar na faixa dos 600 dinheiros, e logo de cara recomendei a comprar o moto g! E ghedin obrigado por se referi ao Google, no masculino, odeio quando estou lendo uma matéria e o redator se refere ao Google como, a google, da uma raiva disso, sei que é frescura mais…

    1. O aparelho Moto G é ótimo, tanto o dual chip quanto o chip único, a câmera é maravilhosa, Eu recomendo! Os aplicativos são maravilhosos!

  4. Muito Boa Matéria.
    Apesar de ter tido vários problemas com um Motorola Milestone 2 com pouco tempo de uso e tendo presenciado amigos com Motorolas semelhantes dando problemas “bobos”, nesse tempo a empresa foi comprada pelo Google, evoluiu e voltou a ter meus créditos e uma segunda chance de mostrar qualidade.
    Sou do tipo que não paga mais do que 1 k em um celular, porém tento comprar o melhor aparelho possível dentro desta faixa de preço, conciliando custo x benefício. Hoje um dos aparelhos que possuo e ocupa essa posição é o Nexus 4.
    Contudo, acredito que esse aparelhinho aí da Motorola vai dar dor de cabeça no segmento de Low-End ou um medium-end se é que exista isso rsrs, para a Samsung.

    1. Na verdade, no Brasil, eu acho que a Motorola já está dando dor de cabeça para as outras fabricantes com seus ótimos D1 e D3.

      1. Esses são bem legais mesmo. Já mexi no D3, é bem competente, e o D1 está aqui para uns testes — na faixa de preço, é difícil encontrar concorrente.

        A nova Motorola está mandando muito bem.

  5. Esperando anciosamente por um review!
    Acabei de comprar um Nexus 4, se soubesse teria esperado para fazer uma comparação. Mas sabe como é, promoção, preço bem baixo, não pude deixar passar :D

    No mais, passa a ser minha primeira indicação quando me perguntarem sobre aparelhos bons.

    1. O Nexus 4 parece mais negócio que o Moto G, mesmo sendo um ano mais antigo.

      E sim, o Moto G vai facilitar muito a indicação para amigos e parentes que procuram um “celular bom e barato” :-)

  6. Está aí um aparelho que eu compraria hoje se o meu parasse de funcionar. Só acho uma pena que ele não tenha aquele monte de recursos legais do Moto X.

    1. Ah, mas os recursos do Moto X em um aparelho de menos de US$ 200 é querer muito :-)

      Aliás, pelo que oferece o Moto G é um milagre da indústria — se a Motorola estiver, de fato, lucrando com cada venda. É muito barato, mas ao mesmo tempo não é tão comprometido quanto aparelhos dessa faixa de preço.

  7. Eu acho que a indústria na verdade abandonou as bilhões de pessoas que não estão dispostas a andar com uma “telha gigante” na mão… O povo comum de classe média, que não vive acompanhando os lançamentos de celulares, não gosta de tela gigante. As opções de celulares com telas menores são geralmente com hardware muito pobre e com bordas grossas que reduzem a vantagem da tela pequena.

    Pra mim ainda é muito estranho usar smartphone com tela acima de 4″ no dia-a-dia, na rua ou no ônibus por exemplo, chama muita atenção e não é ergonômico…

    o meu smartphone dos sonhos seria um com o hardware desse moto g, mas com uma tela de no máximo 3,5 polegadas com alta densidade de pixels e com o mínimo de borda possível para que as dimensões do aparelho fiquem bem reduzidas. seria um aparelho bonito, discreto, barato e eficiente. Tipo um “moto g pocket”.

    1. Olha, 3,5 polegadas me parece pouco hoje. Nem a Apple usa mais esse tamanho no iPhone, e ela sempre prezou ergonomia… Estou testando alguns aparelhos de ~3,5 polegadas, é muito apertado, de verdade.

      O Moto X (e, imagino, o Moto G) têm bordas mínimas, é um aparelho bastante compacto e, ainda assim, com uma tela generosa. Aliás, como aparelhos baratos costumam ter bordas grossas na frente, o aumento em tamanho físico costuma ser menor que a disparidade das telas sugere.

      Também tinha esse receio antes de ter um Nexus 4, mas hoje… não voltaria para um com menos de 4 polegadas, independenmente do hardware.

      1. dentre as vendas de smartphone no Brasil, acredito que a maior fatia é de aparelhos de menos de R$600 e com telas menores ou igual a 4″. Os hard users e fãs de tecnologia já não têm mais restrição quanto à telas maiores, mas o povo comum ainda tem…

        o fato é que existem poucas opções para quem quer um bom smartphone android compacto, com boa resolução e bom hardware, com tela menor e pouca borda. Até a Samsung que costuma ter vários modelos para todas as fatias de preços e gostos, não tem celular nessas especificações. Praticamente não existe smartphone com bom hardware e tela pequena no mercado atual.

        O Galaxy Fame é um bom exemplo de celular relativamente compacto com tela de 3,5″, porém o hardware dele é fraco, a tela tem baixa resolução, a câmera é ruim e tem muita borda inútil que deixa o celular menos compacto do que poderia ser: http://img.americanas.com.br/produtos/01/00/item/113807/1/113807169SZ.jpg

        ——

        E parabéns pelo blog, espero que tenha muito sucesso.

    2. Olha, tenho uma boa parcela da família que tem a renda BEM comprometida e vou te dizer acho que esse pessoal de baixa renda são os que preferem os telefones grandes. Pra eles tela maior= preço maior ou seja mais “statis”
      Minha sogra tá desempregada e comprou um tal de gran duos da samsung. É gigante, mas a resolução é horrenda e é meio lento, mas ela tá feliz da vida.

      1. Acho que o gosto por telas grandes não tem relação com renda. O Galaxy Note 3, que é o precursor dos phablets, é caro no mundo inteiro. Talvez exista essa ideia de que celular grande é sinônimo de caro, o que acaba levando muita gente a comprar aparelhos grandões com baixa resolução e especificações fracas, mas, novamente, isso deriva do topo da tabela, dos phablets caros e rápidos.

  8. Ghedin, uma ótima apresentação do Moto G! Achei bem interessante este novo aparelho, mesmo. Meu primeiro celular, em 2003, foi um Motolora C200, que gastou tanto o teclado que me vi obrigado a trocar pelo Motorola W375. Sempre gostei da Motorola! Este último só troquei porque quebrou. Há mais de um ano tenho usado um Nokia C2-01, pelo qual me encantei tendo em vista a duração da bateria – o que não era o forte dos celulares da Motorola, aos menos esses dois que tive.

    Sim, eu não tenho nem mesmo um dumbphone :P. Mas tenho pensado seriamente há alguns meses em comprar um smartphone, já que os preços tem ficado mais em conta. Estou namorado o Nokia Lumia 720 e estava bastante decidido a comprá-lo adiante, até que apareceu o Moto G! Mas a dúvida é: será que os modelos de smartphone da Nokia, com o Window Phone, tem duração de bateria tão bom como esses antigos? E o Moto G? Minha noiva tem iPhone 4S e temos um iPad também. O iPad só usamos em casa, então a bateria dura bastante (uns 4 ou 5 dias). Mas o celular dela tem que carregar todo dia! Não sei se a Nokia conseguiu manter a boa fama da bateria com esse novos aparelhos, pois não conheço ninguém que tenha um Nokia Lumia – a Samsung tá em quase todas né?

    Grande abraço.

    1. Olá Bruno, sou usuário do Lumia 720 e posso dizer que a bateria dura muito pra um smartphone, minha bateria dura 2 dias e meio com localização, wifi, 3g ligados sempre, mas isso varia do seu uso, no inicio a bateria acaba muito rápido pois você meche muito no aparelho, mas com o tempo você se acostuma, duração de bateria ainda é um tabu pra qualquer smartphone logo eu acho que durando 12 horas ja está de bom tamanho!

      Abraços!

      1. Oi Daniel. É bom saber da bateria diretamente de um usuário do celular. Dois a três dias, para mim, já seria muito bom, pois a bateria do meu celular atual dura entre cinco e seis dias. É uma questão de se acostumar mesmo. Gostei muito da Nokia e gostaria de continuar usando um aparelho da empresa – sei lá, algum tipo de fidelidade à marca ;-). Valeu pela dica cara. Acho que breve eu devo comprá-lo mesmo.

        Grande abraço.

    2. Os Lumias, infelizmente, não têm a bateria espetacular dos dumbphones da Nokia. É o preço que se paga pela comodidade e diversão dos smartphones… Estou testando um Lumia 520 e a bateria fica dentro do aceitável, ou seja, tem colocar na tomada todo dia antes de dormir.

      Fosse eu você, daria uma olhada no Lumia 820. Pelo que li, a câmera do 720 é melhor, mas o 820 tem a vantagem de ter 1 GB de RAM e, pelo que tenho usado do 520 (com 512 MB, a exemplo do 720), esse dobro de memória faz diferença no dia a dia. Comprei um Lumia 820, mas ainda não chegou — se for comprar mais para frente, poderei comentar melhor a diferença entre esses aparelhos.

      Ah sim, e o Moto G é uma ótima opção também, talvez a melhor hoje em custo-benefício. Acho que entre esses três, não tem como errar :-)

  9. Parabéns pelo blog, conteúdo excepcional!
    Excelente aparelho e muito barato, ja vi a 553,00 no submarino, acho que vou dar uma pausa no windows phone e tentar uma experiencia com android através deste carinha ai!

  10. olha eu so o maior fan do symbian desde 2011 cuando o android nao tinha esse fama td so q eu so uso meus gadgets ou seja meus celulares pra jogos e internet jogos bem pesados tipo gta3 e etc… Ou seja o symbian pra games e uma merda nao troco a nokia por nada entao atualmente to d lumia mais os androids tem o triplo d jogos do windows8 ai agora no final desse mes descid comprar um smart so pra games mais eu odeio d coracao a sansung a lg e boa mais da muito pau e desd d ums 2008 eu uso so nokia mais desd d 2010 que virei fan da motorola passei tipo ums dois meses estudando ums smartphones bom pra jogos que custace d 600 a ums 900 reais entao vi q os smarts certos pra min ceria rarz d1,d3 ou l7 mais nu dia certo e na hora certa a motorola lançou o moto g e melhor e mais barato… Sem duvida vou d moto g colors dual e 16gb mais quria saber se ele dura tipo um ano e meio de uso puxado?

  11. eu concordo com vc tbm so fiel a nokia mais tbm so mais q fiel a motorola o sonho do nokianos cm nos era que a nokia unirsce o google e pusece android nos nokias ja imaginou lumia 2000 android 4.4 kitkat camera d 14 mp cuad core d 1.8ghz snadragon 5polegadas bateria de 3000mh 64 gb d memoria e 3 d memoria ram 4g lte mais eu nun ia comprar n ia custar no minimo 3.500… Mais ia ser legal d uma olhada no meu comentario o ultimo.

  12. Como faço para remover a tampa da bateria?

    Para remover a tampa da bateria do seu Moto G basta com as unhas, na parte inferior do aparelho puxar a tampa para cima.

    Atenção: Não tente remover a tampa da bateria pela parte de cima do aparelho. Isso pode causar danos as entradas do celular.

    1. Esse aparelho me encantou e desde ontem li mais de 10 reviews sobre ele e esse seu review tá bem escrito, parabéns.
      Me ajudou a decidir por ele. R$ 702,12 na FastShop para retirar na loja. No SCNorte, em Sampa, tinha 4 peças quando retirei o meu nessa tarde de domingo. Também escreverei um longo review em meu blog.

  13. OOla, eu sou usuário do motog e eu recomendo eu pesquisei muito sobre ele no YouTube e outros meios para depois não me arrepender e olha não me decepcionei só a bateria que não dura muito ( aço que é porque fico com o 3g ligado o dia todo com o brilho da tela no maximo e tambémh jogo umas 5a6 horas por dia ) mecho muito porque tem uma semana que comprei até eu me acostumar vai demorar um pouco.

    E si fosse pra indicar um esmartefhone eu indicaria esse, não vão si arrepender….
    Forte abraço !!!!!!
    Ótimo post

  14. Adentrei no mundo Android através do Moto G, e que bela experiência estou tendo, ótimo aparelho, cansei do iPhone tive 3G, 3Gs e 4, passei por 2 modelos de Windows Phone L800 e L720 e entrei com tudo no Moto G e estou satisfeitíssimo, é um ótimo Smartphone tanto em qualidade quanto preço. Ainda não li o review (read it later, sabem como é rsrsrs) mas já vi que está tão positivo quanto o do tecnoblog. Curto muito esse site, parabéns Ghedin!

  15. Tempos atrás abandonei o mundo Android graças à Samsung e seu TouchWiz. Estou há quase um ano com um Lumia e até agora sem vontade de voltar aos Androids.

    Até agora … O Moto G me deu vontade de mudar pro Android de novo.

  16. Bem bacana o Moto G, e é inevitável falar sobre o ótimo custo-benefício dele. Estou querendo trocar de smartphone porque meu atual já mostra sinais da idade, só que no momento não posso gastar mais de R$ 1.000 em um aparelho.

    Por esse review e alguns outros que vi, o Moto G chegou a me interessar, mas fiquei muito decepcionado com a qualidade da câmera, a ponto de descartá-lo como candidato. Eu uso o smartphone como minha câmera principal, e meu velhinho Sony Xperia P, com todos seus defeitos (inclusive na câmera), tira fotos melhores. Por exemplo, tirei essas 2 com ele, que estão sem qualquer edição: http://imgur.com/RJDOsUa e http://imgur.com/j7US1vn .

    Migrar do Android para outro sistema não seria um problema para mim. Gostei de alguns Lumias, em especial o 720, o 820 e o 925. O 925 parece ser o melhor dentre esses 3, mas já ultrapassa meu limite de orçamento. O 720, por outro lado, tem só 512 MB de memória RAM.

    Ghedin, você teria alguma dica / recomendação para mim? Li em um comentário que você comprou o 820. Seria demais pedir para postar algumas fotos feitas com ele depois que ele chegar? Não tenho pressa de comprar, e quero um aparelho que me sirva bem por uns 2 anos. Não jogo no celular, e uso relativamente poucos apps, mas não suporto lentidão no sistema e câmera ruim.

    1. Eduardo, é difícil encontrar boas câmeras em smartphones intermediários. Mesmo nos topos de linha é preciso cautela; há muita promessa, muito marketing, mas às vezes elas não se mantêm na prática — vide as câmeras do HTC One e Moto X.

      Até R$ 1k, li bons comentários sobre o (e vi boas fotos do) Lumia 720. Mesmo com 512 MB de RAM, se câmera for tão importante assim talvez valha o investimento. Ainda mais agora, meses após seu lançamento, com ele em promoção toda hora chegando a preços bem atraentes. Depois disso, sinceramente não sei. Talvez aguardar uma boa promoção do Moto X (a câmera não é maravilhosa, mas é decente) ou conferir esse novo Xperia C, da Sony. O release fala em uma boa câmera e um software especial para selfies, mas ainda não li sobre ele, ou vi suas fotos.

      A respeito do Lumia 820, acabei pegando um Lumia 920 na Black Friday — aliás, eis uma recomendação matadora: paguei menos de R$ 900 no meu; como ele deixou de ser importado para o Brasil, se conseguir achá-lo em uma queima de estoque abaixo de R$ 1k leve porque não tem câmera melhor nesse patamar.

      1. Uso um Lumia 720 e um Nexus 4. O Lumia comprei em outubro através de um dealzmodo por R$520,00. Um custo/benefício difícil de ser superado. Honestamente, não senti até o momento qualquer limitação dos 512MB de RAM. Em tese deveria ser perceptível como o é no Lumia 520, mas no meu uso não percebi. O Lumia 720 entrega uma experiência de uso muito boa. Inclusive a câmera e bateria são superiores ao Lumia 820, que acaba tendo como vantagem apenas a maior quantidade de RAM. Quanto a câmera, é muito boa. E principalmente, o software é muito bom. O Nokia Camera entrega controle manual total para o aparelho, e só isso já o coloca um nível acima da concorrência. A câmera é muito versátil. Dito isto, não gosto da câmera em modo automático. Ao menos não com a firmware Amber. No meu uso cotidiano prefiro as fotos entregues em modo automático do Nexus às do Lumia. Se o foco é câmera, eu iria atrás de um Lumia 920 ou pegaria um Lumia 720, como de fato o fiz, apenas se o encontrasse com um preço muito bom (no dia que comprei o 720, ele estava R$5,00 mais barato que o preço médio do Lumia 520).

  17. Ghedin,

    Eu tive um S4 e como adquiri um plano de outra operadora comprei o Moto G. Sinceramente, desfiz do S4, e passei a utilizar as duas operadoras no G dual chip, versão colors. Porque? Bom… a não ser o 4G que em muitos casos, na minha situação, era uma ilusão desnecessária, o G era mais eficiente para mim. Não sou aquele tipo “heavy user” que tem os jogos extremamente pesados e os pesados que as vezes aprecio usar, rodam no G. E sendo bem sincero, por mais que me doa ter “desperdiçado” o investimento no S4 já que sai do note 2 (MUITO melhor que a linha S), nunca mais sairei de um Android puro para qualquer skin do Android. Meu próximo será o Nexus 5 e dai estaciono, por alguns anos eu acho, se meu lado consumista permitir.
    Resumindo: “moto G vale mais do que se pede”. Resta ao usuário traçar com clareza seu perfil de uso de um “gadget”.

    1. O Android puro é um diferencial e tanto da Motorola e da linha Nexus. É notável como o sistema responde melhor, mesmo com hardware mais simples como o do Moto X, e como a usabilidade e o visual é mais acertado sem as alterações das fabricantes.

  18. Ghedin,

    Desculpe mandar dois comentários em seguida. Tenho uma consideração que julgo interessante a fazer sobre a tela do S4 x Moto G, e que, não sei se compreendi corretamente, você suscitou ser uma consequência do hardware, quando diz: “mas é perceptível que a tela não responde imediatamente aos toques”.
    Sou deficiente físico (ausência do antebraço e da mão), resumindo, tenho apenas do cotovelo para cima nos dois membros superiores. Sou super adaptado (creio) no uso de celulares. Percebo porém que as telas dos Samsung são muito superiores (leia-se responsividade) aos meus comandos com o que tenho para usa-las. O teclado swype por exemplo, nativo em ambos os aparelhos (G e S4), deixei de usar no Motorola. No S4 bem como no note 2 eles eram uma mão na roda, aliás, eram sensacionais para mim e sinto sua falta. Claro que me adaptei já que tive um iphone 4 em tempos atras, então, uso bem o G sem o swype, mas sinto falta, bastante. Já pensei em fazer algum vídeo para exemplificar essas questões que vão alem do uso comum, uso médio; uma delas é a questão da acessibilidade em gadget’s. Já dei uma palestra nesse tema.

    Até mais, e agora sim, sem chega de comentários.

    1. Que relato bacana, Matheus. Obrigado por compartilhar com a gente!

      Telas menos sensíveis/responsivas devem ser mais baratas. Quanto mais simples/barato o smartphone, pior esse aspecto; não me parece ser uma questão de fabricante. Estou com um Galaxy S 4 Zoom para testes e o atraso na resposta da tela é no nível do Moto G. Naquele comparativo de smartphones de até R$ 500, todos ficam devendo bastante nesse ponto. E o Moto X, da mesma Motorola do Moto G, é muito bom nesse ponto.

      Se fizer esse vídeo, por favor mande o link para mim. Se quiser escrever alguma coisa a respeito e publicar por aqui, sinta-se em casa. Acessibilidade é um assunto importante, interessante, pouco abordado em sites de tecnologia e que eu teria o maior prazer em veicular no Manual.

  19. Baita Review Rodrigo, gostei muito. Lembrei do meu irmão agora, que após eu mostrar para ele o teu review do moto x, comprou. Assim como eu, ele já vinha há bastante tempo pesquisando para comprar um smarthphone… Tá super feliz!

    Abraço.

  20. Oi Rodrigo! Legal o review!

    Queria a tua opinião do que irá acontecer agora que a Google vendeu a Motorola para a Lenovo?

    Ah! E o Marcus Pereira escreveu um post muito bacana só com dicas e truques para quem tem Moto G. Por exemplo, quem tem Moto G ganha 50 gb no Google Drive por 2 anos! Link: http://showmetech.band.uol.com.br/moto-g-dicas-para-aproveitar-melhor-seu-novo-smartphone/

    A minha bateria tem durado 2 dias em média (eu carrego dia sim, dia não). No final do segundo dia ela geralmente está em 30%. Acho que, como esse é o meu primeiro smartphone, eu ainda tenho um uso bem moderado. Como eu tenho a versão web de quase todos os apps, só uso mesmo quando estou na “rua”, sem um computador por perto. E também passo a maior parte do tempo só com o wi-fi ligado, sem 3g.

    Ah! E o negócio é ficar mesmo de olho nas promoções. Comprei o meu Colors Edition por 630 reais (frete incluso) nas Americanas.

    1. Obrigado, Cintia!

      Acho que a Motorola está em boas mãos. A Lenovo comprou a divisão de PCs da IBM faz um tempão e desde então só melhorou a linha ThinkPad. Ela é, hoje, a maior fabricante de computadores do mundo e já é a terceira maior fabricante, atrás de Apple e Samsung. O histórico é favorável. Para o Google, acaba a saia justa de disputar mercado com suas parceiras com o Android, uma situação que era… estranha.

      Usando moderadamente, sem recorrer ao 3G/4G, a bateria de um smartphone dura bastante mesmo. E sim, o Moto G está constantemente em promoção e se torna um custo-benefício ainda melhor com descontos.

  21. Então… eu comprei um moto g, amei, se não fosse um barulho irritante quando eu faço ou recebo ligações. Fui na loja e troquei por outro, que estava com o mesmo problema… uma menina que trabalhava na loja tinha um igual e eu testei, mesmo barulho! Voltei pra casa com meu moto g bastante desconfiada, o problema continuou e eu liguei pra matorola e eles falaram que o barulho não era normal. Voltei na loja e troquei por um aparelho da Samsung, um galaxy win … amei o moto g, mas com esse barulho irritante não dá!

    1. Não me recordo, durante os testes, de ter notado algum barulho estranho na hora de atender ligações, Ana. Estranho que o problema tenha se repetido em três aparelhos — ou você deu muito azar, ou existe algum fator comum a todos eles ou, ainda, é algo próprio do Moto G mesmo.

  22. Estou iniciando a vida nos smartphones. Pesquisando preços, vi que o Moto G 16gb dual sim colors está quase o mesmo preço do Nexus 4, diferença de R$100,00 no máximo. Eterna dúvida, qual a melhor compra atualmente? Sou usuária moderada, não uso jogos, ouço pouca musica, mas sei que com o uso, a gente vai criando necessidades. rsrs Muito bom o seu blog!

  23. Ola galera, fiz uma loucura mas uma loucura boa, a quase 1 ano comprei um Xperia Z, dai um colega de trabalho pertubou meses pra compra-lo, dai oque eu fiz vi o M G e mano fiquei doido tipo custo beneficio la em cima e o cel top mano, fiz oque ontem mesmo vendi o meu por R$1400,00 e comprei um M G por 799,00 dual sim 16 gb e veio com capinhas velho, show de bola nao se compara a um X Z a prova d’agua e tal mas acho que a Motorola deveria mudar so um pouco o sistema mesmo com a atualizaçao 4.4.2 fica tudo preto no menu sabe sei la é meio estranho, tambem deveria ter entrada para Cartao de Memoria ficaria show e pra colocar musicas “MP3″ como toque ou alarme e maior saco kkk.
    Enfim se tiverem alguma dica fala ai quero descobrir mas dessa maquininha.

  24. Olá Ghedin, tudo bem?
    Estou comprando meu Moto G e estive pesquisando sobre ele essa semana. Me deparei com essa review e fiquei surpreso ao ver seu nome.

    Você não deve se lembrar, mas eu acompanhava o WinAjuda em sua “época de ouro” e frequentava o fórum, procurando sempre ajudar o pessoal. Chegamos até a conversar sobre uma proposta de “atendimento” dos usuários via IRC no canal #WinAjuda que, se não me engano, chegou a acontecer por algum tempo.

    Enfim, parabéns pela ótima review. Fico contente por me deparar novamente com seu trabalho. Você sempre foi muito competente. Desejo sucesso. Se puder me adicione no skype: leo_corder

    Grande abraço!

  25. Adorei o Moto G, é um aparelho realmente muito bom!

    Mas eu fiquei com uma dúvida. Pessoal, vocês notaram um pequeno barulho que faz ao sair da câmera!? É como se fosse um barulho da lente fechando ou algo do tipo… É um pequeno barulhinho, mas eu queria saber se é normal… Obrigado!

  26. ganhei um moto g, nem ligava pra smartphone, sinceramente, estou apaixonado pelo aparelho, cara, é muito bom, recomendo sem medo, hoje tenho oportunidade de trocar o moto g por um s3 da minha irmã, sinceramente não sei se vou, apesar so s3 ter lá suas vantagens, mas depois que vc manuseia e usa um moto g, fica difícil, muito difícil de querer largar, pra mim o maior atrativo do moto g é o android puro, fica ai a dica, quer adquirir um, moto g sem pensar, é muito show.

  27. alguem pode me dizer se tem algum dispositivo para que possa assistir tv no moto g tipo bluttut ou algo parecido. ex: a nokia tem um aparelho tipo blutut que e ligado e assiste tv no n8, e só exemplo. obrigada.

  28. Boa tarde, tenho um moto g um ótimo smartphone porem não tem a função de deixar diferente o fundo do bloqueio de tela. Independente do qual coloque o fundo da tela principal fica igual ao da tela de bloqueio. Seria legal que houvesse a alteração.

  29. O Moto G é ótimo, meu único problema foi na hora de imprimir um documento, a impressão sai muito fraca como se a tinta estivesse acabando, mas os cartuchos estão cheios. Imprimi o mesmo documento pelo notbook e a impressão saiu normal.

  30. Estou gostando muito do moto g……..gostaria de saber se devo colocar um antivirus nele, e qual poderia colocar. abrass

    1. Diego, a princípio não é necessário antivírus em smartphones Android, desde que você sempre compre e baixe seus apps e jogos do Google Play. Porém, alguns oferecem serviços auxiliares, como rastreamento e bloqueio em caso de furto/roubo/perda, que são bem interessantes e podem valer a pena.

      1. valeu Ghedin, no caso desses com estes recursos qual seria bacana usar? coloquei um aqui chama Psafe suite, parece ser bom…

  31. Ola…estou adorando meu moto g..mas ainda não descobri algumas funções dele,gostaria que alguem me ajuda-se por favor!!…queria muito saber transferir músicas pra outro dispositivo, rejeitar ligaçôes e colocar música no toque de chamada…..si alguem puder me ajudar desde já agradeço..brigada.

  32. Comprei esse aparelho. Excelente!!!
    Bonito, com ótima resolução de imagens e com a qualidade motorola. (por preço abaixo da concorrência).
    Vale muito a pena!

  33. nao consigo baixar todas as fotos e videos do motorola g, não aparecem no computar, somem, há uma confusão de pastas… qual o conselho para o problema.
    obrigado.
    Baixei o organizador de pastas mas o computador não encontra o conteudo.

  34. Sempre gostei da marca LG, troquei pelo motorola um Moto G, mas não gostei e o manual que acompanha e pobre de informações e alem do mais é muito difícil de usar pra quem não domina muito, e não consigo ajuda pra configurar, baixar jogos coisa básicas que eu fazia no meu smartphone da LG sem dificuldades, agora mesmo acho que não sei como deletei o despertador e não sei como instalar, sei lá ele simplesmente sumiu quando tentei tirar do modo soneca, estou muito arrependida de ter trocado da LG para a motorola

    1. O tempo suficiente para a bateria chegar a 100%. Ou antes disso. Essa história de carregar por horas na primeira vez é ultrapassada, dos tempos da bateria de níquel-cádmio. As atuais, de íons de lítio, não sofrem desse problema.

  35. GOSTARIA DE SABER PQ O ÍCONE DE SINAL DAS OPERADORAS, ORA FICA BRANCO, ORA FICA LARANJA…
    O QUE ISSO SIGNIFICA?
    SINAL COMPLETO, BOM OU SINAL FRACO?
    ALGUÉM PODE ME AJUDAR?

  36. Eu ganhei um moto g mas não estou conseguindo entrar na tv movel entra entra mas não acha canal você pode me dizer como faço para assistir os canais ??
    Por favor me ensina ae

    1. Nunca compre um celular no exterior, pois as várias frequências que compõem as bandas 2G, 3G e 4G são bem diferentes no Brasil.
      Os aparelhos importados ficam funcionando precariamente no Brasil (quase não pegam 3G).
      Já as peças de reposição como as baterias e as telas de LCD, você pode comprar na China bem barato (no Aliexpress).

      1. Faz algum tempo que as antenas 3G alcançam todas as frequências em uso, o que significa que um celular comprado fora funciona normalmente aqui. Exceções, apenas os que usam tecnologia diferente da GSM, que é dominante no Brasil (CDMA, por exemplo), e os 4G, cuja frequência usada no Brasil é bem específica, só compartilhada por alguns países, como Itália.

        O maior motivo para evitar aparelhos de fora é a garantia. Não são todas as empresas que garantem aparelhos importados fora do país de origem.

        Não recomendo bateria do AlliExpress e outros sites chineses. Muitas são falsificadas e, além de não serem tão eficientes quanto as originais, ainda representam riscos à saúde do usuário — podem explodir do nada, por exemplo.

    1. Você precisa saber qual é a distância mínima para foco deste modelo (em Centímetros).

      Eu acho que o Moto G não tem função Macro.

      Você deve também clicar na tela sobre o objeto a ser focalizado, pois a câmera regula automaticamente o foco para este ponto.

  37. Olá, eu compre um moto G. e vi que ele tem sensor. queria conhecer algumas maneiras de usa-lo. Dicas, please.

  38. Parabéns pela matéria e excelente espaço para troca de informações. Comprei meu moto g e aguardo sua chegada. Sou usuário mediano e averso aos jogos em celulares. Pretendo dedica lo ao uso mais produtivo como ferramenta geral de trabalho. Vejo como ponto fraco do moto g a falta de acesso para um cartão de memória.

    Abraço,

  39. Meu irmão comprou um para a mulher, pois queria um celular daqueles, bom e barato, e realmente o motorola moto g é o melhor custo benefício. Valeu pelo post…

  40. Bonito! Muitos comentários, muitos elogios, etc…..
    Mas, além daquele folder pequenino que vem na “caixinha”, com certeza destinado a pessoas com alto conhecimento em smartphones(?), onde encontro um manual mais completo, com melhores explicações de para tantos recursos? Estou perdido!

  41. é um celular perfeito mas precisa melhorar o fato de nao ter como tirar a bateria.
    assim se a bateria chegar a 0% nao tem como carregar no carregador universal e o carregador original dele nao carrega.

  42. O meu moto G não esta saindo som nos videos, quando aumento o volume e ele aparece a mensagem de quando esta com o fone.
    Com o fone funciona, retiro o fone e ele não reconhece que retirei o fone. Alguem já passou por isso? Me ajudem por favor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>