terça-feira, 23 de agosto

Sobre um site que (não) deu certo

Há cinco anos, lancei um site sobre tecnologia. Estava cheio de expectativas, com gente muito boa ao meu lado e aquela empolgação em querer fazer diferente, de querer somar. O site não deu certo, seis meses mais tarde ele acabou. Mas nem tudo foi fracasso. As lições e os encaminhamentos que partiram dele foram muito valiosos e reverberam até hoje. Inclusive aqui, no Manual do Usuário. Continuar lendo Sobre um site que (não) deu certo

segunda-feira, 22 de agosto

O que tem na sua mochila, Cecília Fialho?

Foto da Cecília Fialho.

Cecília Fialho é economista e analista numa consultoria em agronegócios, além de pesquisadora pela Nuffield International, com enfoque na estruturação do marco regulatório que aprova eventos geneticamente modificados em países de diferentes continentes. É também entusiasta no mundo dos games, e de vez em quando escreve para o New Game Plus. Pode ser encontrada no Twitter e Instagram.

Continuar lendo O que tem na sua mochila, Cecília Fialho?

sábado, 20 de agosto

Guia Prático #93: Carros autônomos já estão nas ruas

No programa de hoje, eu (Rodrigo Ghedin), Paulo Higa e Joel Nascimento Jr. falamos de carros autônomos — finalmente! Dias atrás o Uber anunciou que colocará nas ruas da cidade de Pittsburgh versões autônomas do Volvo XC90, carros que conduzirão passageiros normais que pedirem uma corrida pelo app do serviço. É um marco, que acontece muito antes do que todos imaginávamos. Entre isso e o estabelecimento dessa nova forma de nos locomovermos, existem muitos desafios que transcendem a tecnologia pura. Como fica a questão dos empregos dos motoristas? A adaptação a carros sem volantes será rápida? E o mercado de transportes, tem espaço para caminhões que dirigem sozinhos? Não temos todas as respostas e certamente um punhado de perguntas ficaram de fora do programa; considere-o uma introdução (tardia) ao tema.

Continuar lendo Guia Prático #93: Carros autônomos já estão nas ruas

sexta-feira, 19 de agosto

Imagens, Snapchat e mobile

Pela primeira vez na história, basicamente todas as pessoas do mundo terão uma câmera. Mais de cinco bilhões de pessoas terão um celular, quase todos serão smartphones e quase todos terão câmeras. Muito mais pessoas vão tirar mais fotos do que nunca — mesmo hoje, talvez entre 50 e 100 vezes mais fotos são tiradas por ano do que foram capturadas em rolos de filme até então. Continuar lendo Imagens, Snapchat e mobile

quarta-feira, 17 de agosto

Realidades mescladas

Na abertura do IDF 2016, a Intel anunciou algumas coisas bem interessantes. Delas, a que chamou mais a atenção foi o Project Alloy, um capacete de realidade virtual que dispensa fios e permite interagir com o ambiente. Ou seja, ele é uma mistura de realidade virtual com realidade aumentada, tanto que o marketing da Intel cunhou um novo termo para se referir à experiência, algo como “realidade mesclada” em tradução livre. Continuar lendo Realidades mescladas

domingo, 14 de agosto

Guia Prático #92: Facebook vs. bloqueadores de anúncios

No programa de hoje, eu (Rodrigo Ghedin) e Paulo Higa falamos sobre diversos assuntos: a briga de gato e rato entre Facebook e Adblock Plus, a renúncia de João Rezende da presidência da Anatel, as mudanças na estratégia de vendas da Vi/Meizu no Brasil e a alavancada da Alcatel por aqui.

Continuar lendo Guia Prático #92: Facebook vs. bloqueadores de anúncios

sexta-feira, 12 de agosto

Onde estão os detratores de Pokémon Go e da Olimpíada?

Desde que Pokémon Go estreou no Brasil e a Olimpíada do Rio teve início, tenho me deparado diariamente com posts em redes sociais de gente criticando quem critica o joguinho de celular ou os atletas ou evento olímpicos.

Nada muito fora do normal em se tratando de redes sociais, mas eu me perco numa fase bem específica e imprescindível desse processo: onde estão essas pessoas que criticam os jogos (da Niantic e do COI)?

Trata-se de um fenômeno mais antigo, mas que se acentuou com esses dois eventos grandiosos que se desenrolam no momento. Leio muitas críticas a quem critica essas coisas, mas essa crítica original, teoricamente infundada de pessoas sem coração que falam mal mesmo e não estão nem aí, me escapa. Quando muito, é escavada de impressões ou suposições ou amplificada a partir da fala de algum maluco, que serve mais de desculpa pra fazer textão do que alguém que mereça uma resposta — na real, não vale o esforço e todos ganharíamos mais ignorando-o.

Talvez seja o algoritmo do Facebook em ação e a bolha que criei no Twitter me isolando de opiniões divergentes, mas, parece-me (corrija-me se eu estiver enganado) que a ameaça de uma crítica contundente a algo de que gostamos muito gera uma esquizofrenia coletiva e, como resultado, um punhado de textos defensivos quixotescos que, desculpem-me quem os faz, não acrescentam nada. Pior, tiram o brilho das temáticas defendidas. Estragam o clima, resumindo.

Foto do topo: Sadie Hernandez/Flickr.