Momento de transição

Como acontece todo ano, em 2016 o Google dominou as manchetes com os anúncios do Google I/O, sua conferência anual para desenvolvedores. Desta vez sem nada realmente novo, apenas produtos e serviços que replicam o que concorrentes já oferecem com o tempero do Google, ou seja, personalização e inteligência artificial. Vindo de quem vem, porém, é sempre bom prestar atenção — vai que, sei lá, daqui a um ano estejamos todos conversando pelo Allo ou com um “little brother” que tudo ouve e tudo envia aos servidores do Google em nossas salas? Continuar lendo Momento de transição

sábado, 21 de maio

Guia Prático #80: O Google corre atrás da concorrência

No programa de hoje, eu (Rodrigo Ghedin), Emily Canto Nunes e Paulo Higa falamos bastante sobre a Google I/O, conferência anual do Google para desenvolvedores que rolou essa semana. Várias novidades foram anunciadas, mas nenhuma novidade de fato. O Google mostrou apps, tecnologias e produtos que suas rivais já têm em funcionamento e espera, com tudo o que sabe da gente e sua avançada inteligência artificial, dar a volta por cima.

Continuar lendo Guia Prático #80: O Google corre atrás da concorrência

quinta-feira, 19 de maio

É possível viver sem o Google?

Um dia parei e me percebi bastante dependente do Google. Com um serviço aqui e outro ali, algumas coisas realmente boas, outras usadas por mero comodismo, notei que muito do que faço online passava pelos servidores do Google. Tanta coisa que, a essa altura, chamá-lo apenas de “buscador” é um reducionismo perigoso. Incomodado, me fiz a pergunta: é possível viver sem o Google? Continuar lendo É possível viver sem o Google?

quarta-feira, 18 de maio

A fragmentação do Moto G

Em menos de três anos, a Motorola, agora Lenovo, vendeu 16 milhões de unidades do Moto G no Brasil. Em um mercado onde, no último ano, foram vendidos 47 milhões de smartphones e que conta com mais de dez players, é um número que impressiona para um único aparelho. Ainda que nunca tenha sido um único aparelho de fato.

Até este ano, a Motorola adotava a estratégia de chamar apenas “Moto G” também as segunda e a terceira gerações, o que não só confunde alguns usuários menos ligados em lançamentos, mas também engorda os números como um todo. Diante de mudanças pontuais, sem verdadeiras rupturas de uma geração para a outra, tratar tudo como Moto G fazia algum sentido e dava ainda mais consistência a um produto/marca que virou sinônimo de categoria — nos perguntamos, por muito tempo, onde estava o “Moto G da fabricante tal”.

Com a quarta geração do Moto G anunciada essa semana, muita coisa mudou e esse legado foi posto em risco. Continuar lendo A fragmentação do Moto G

sábado, 14 de maio

Guia Prático #79: A falácia do algoritmo neutro

No programa de hoje, eu (Rodrigo Ghedin), Joel Nascimento Jr. e Paulo Higa falamos sobre os feeds e linhas do tempo governados por um algoritmo de redes como Facebook, Twitter e, numa descoberta ao vivo, agora também no Instagram. Essas empresas usam como escudo uma suposta neutralidade, já que o algoritmo atua sozinho, mas é uma falácia — afinal, alguém de carne e osso ainda precisa escrever e implementar esses códigos todos. Feche o app do Facebook e ouça o que a gente tem a dizer sobre isso.

Continuar lendo Guia Prático #79: A falácia do algoritmo neutro

sexta-feira, 13 de maio

O escritório do Baidu no Brasil

No Brasil há quase três anos, o Baidu ainda luta contra o estigma que a palavra “chinês” possui por aqui e para desfazer o estrago que equívocos em sua estratégia inicial no país causaram. O Manual do Usuário foi dar um rolê no escritório da empresa em São Paulo, no bairro Cidade Monções, na região da Berrini, próximo ao Brooklyn. É o primeiro e, até agora, único dos chineses na América Latina. Continuar lendo O escritório do Baidu no Brasil

quinta-feira, 12 de maio

O fim de uma onda móvel

A indústria da telefonia móvel teve duas ondas — primeiro a da voz e SMS e depois a do smartphone. A onda da voz levou-a de zero a cinco bilhões de pessoas com um celular no planeta e, agora, quase dois bilhões de celulares são vendidos por ano. Em paralelo, começando nove anos atrás, a onda dos smartphones converte uma porcentagem cada vez maior das vendas dos celulares em smartphones. Continuar lendo O fim de uma onda móvel